{{}}
 
  • FBZ

QUAIS DOCUMENTOS VOU PRECISAR PRA FINANCIAR MINHA CASA PRÓPRIA?

Você sabe quais são os documentos para necessários para um financiamento imobiliário? Confira a lista e veja como sair do aluguel.


O financiamento imobiliário já virou um dos melhores (e principais) aliados de quem quer conquistar o sonho da casa própria. Seja diretamente com a construtora ou por meio de uma instituição financeira, antes de assinar o contrato, é necessário juntar uma série de documentos para dar entrada no pedido de financiamento.

Para ajudá-lo a vencer essa etapa e conseguir o crédito para comprar aquela casa tão sonhada, confira a seguir todos os documentos necessários para o financiamento.


Documento de identidade


Pode ser Carteira de Identidade (RG em bom estado de conservação), Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou documentos profissionais de órgãos classistas, como OAB, CRM e CREA.


CPF


Caso o número do CPF esteja em qualquer um desses documentos de identidade, não há necessidade de entregar o CPF individual. Se precisar de um comprovante de inscrição do CPF, ele pode ser obtido no site da Receita Federal.


Comprovante de estado civil


Os solteiros devem apresentar a certidão de nascimento e os casados, a de casamento, que deverá estar averbada no caso de divorciados.


Comprovante de endereço


De preferência em nome do proponente, pode ser qualquer tipo de comprovante (conta de luz, telefone, correspondência bancária, etc) e deve ser recente (no máximo, de três meses).


Declaração de Imposto de Renda


Qualquer pessoa que não esteja no grupo de isenção do Imposto de Renda deve entregar a declaração completa do último período, inclusive com folha de rosto e recibo de entrega. Os isentos não precisam entregar nenhum outro documento.


Extrato do FGTS


Caso você queira utilizar seu Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS ) para ajudar a quitar o financiamento, também deve apresentar extrato original, datado, carimbado e atualizado do FGTS, emitido em uma agência da Caixa Econômica Federal.


Carteira de Trabalho


Todo assalariado precisa apresentar a Carteira de Trabalho entre os documentos para financiamento.

Providencie também cópias da folha de rosto (a que tem a foto), da folha de classificação, do número do PIS, de todos os contratos de trabalho e da folha posterior ao último contrato.


Comprovante de renda


Este é o documento que comprova que você realmente tem capacidade para assumir o pagamento mensal do financiamento. Com base nele será definido o valor da carta de crédito.

O comprovante é de renda familiar, então, você pode somar a renda de todos os integrantes da família que trabalham ou que tenham renda formal.

E muito importante: geralmente, as prestações do financiamento não podem exceder 30% da renda familiar comprovada. Para cada situação, há uma maneira de comprová-la. Confira:


1. Assalariados


No caso do trabalhador formal, deve ser apresentado o holerite. Esse é o documento emitido pelas empresas para seus funcionários comprovando o pagamento.

Normalmente, são solicitados os três últimos para que se faça uma média ponderada da renda do interessado no financiamento .


2. Empresários


Os empresários devem apresentar o pró-labore, que é destinado a sócios de empresas. Ele seria o equivalente ao salário desses sócios, porém, sem a incidência de diversas obrigações trabalhistas, como férias, 13º etc.

A declaração de pró-labore pode ser emitida pelo contador da empresa a fim de que o sócio comprove seus rendimentos.


3. Profissionais liberais e autônomos


O Decore é o documento que comprova o rendimento de quem não tem carteira assinada. Isso engloba tanto os profissionais liberais, como médicos, dentistas e advogados, quanto os autônomos, como encanadores, eletricistas, vendedores, entre outros.

Para que o Decore tenha validade em um processo de financiamento é necessário que ele seja emitido por um contador, que deverá carimbar seu nome e número do CRC.

Vale lembrar que, hoje, um autônomo tem a possibilidade de trabalhar de maneira formal como Micro Empresário Individual (MEI).

A formalização aumenta as chances de conseguir um financiamento. Além disso, o trabalhador autônomo passa a contar com benefícios do INSS pagando apenas uma taxa mensal única, sendo isento de impostos federais.


Conclusão


É importante ressaltar que as listas de documentos para financiamento a serem apresentados podem apresentar algumas diferenças entre uma instituição financeira e outra. Portanto, não deixe de consultar a lista de documentação exigida pela que realizará o seu financiamento.

E não se esqueça de ter pleno controle da sua situação financeira, conhecer bem os valores das parcelas, programar uma entrada, controlar suas dívidas e estar preparado para imprevistos, pois são pontos imprescindíveis para garantir que você dê conta de assumir essa responsabilidade com tranquilidade.

22 visualizações0 comentário